grupo Somos Leixões entrevista J. Moreira

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

grupo Somos Leixões entrevista J. Moreira

Mensagem por Sandro em Sab 24 Mar 2012 - 0:40

JORGE MOREIRA, LÍDER DA CLAQUE MAFIA VERMELHA, EM ENTREVISTA AO “SOMOS LEIXÕES”

“Temos a noção que somos uma mais-valia para o Leixões”


Somos Leixões (SL) - Que melhor adjetivo podemos utilizar para classificar o momento da claque?

Jorge Moreira (JM) - Resistentes.
SL - Como está o processo de legalização?
JM - O processo de legalização do Grupo está em standby; Convém
informar o Universo Leixonense, que decorria o ano de 2003 e a Máfia
Vermelha foi provavelmente o 1º grupo português, a “tentar” se
legalizar. Na altura o presidente do nosso Clube era José Manuel
Teixeira. Já facultamos por 3 vezes aos Dirigentes do LSC, o nosso
processo. Nunca sentimos entusiasmo e interesse do clube, neste
capítulo, provavelmente, pelo fato, da legalização acarretar uma série
de apoios: material, logístico, financeiro.
SL - O que tem a dizer a quem dá uma conotação negativa ao nome da claque?
JM - Nada. É uma questão de sensibilidade. Para nós, o mais importante é o conteúdo e não o rótulo!
SL - O ‘vermelha’ entende-se, mas o conceito ‘mafia’ surge concretamente devido a quê?
JM - Máfia surgiu num contexto jocoso, tendo em conta todo o vasto rol
de peripécias que assolavam o futebol nacional. Com este nome,
pretendíamos satirizar o futebol luso. Por outro lado, existia no
Leixões um grupo de amigos, que habitualmente trajavam de Kilt, que se
denominavam Máfia Vermelha. Inicialmente pensamos “usar” o nome, no
intuito, de juntar essa malta. Não obstante a escolha do nosso nome ter
recaído em Máfia vermelha, importa referir que foram aventados outros
nomes, porém a generalidade dos elementos presentes na 1ª reunião do
grupo, optou pelo nome MV.
SL - Quantos membros tem a claque e quais são as regras básicas para aderir ao movimento?
JM - Membros filiados cerca de 250, porém apenas 60/70 são membros
ativos. Para aderir à MV, basta fazer-se sócio do Grupo, e prometer
honrar, dignificar e lutar pelo Mágico Leixões.
SL - Quando se
pensa em claques, pensa-se logo em confusões, de vária ordem, antes,
durante e depois dos jogos. O que é que falha neste modelo associativo?
JM - Não existem modelos perfeitos, especialmente quando os mesmos,
envolvem Homens com sensibilidades e idiossincrasias diferentes.
Sinceramente, consideramos que esta questão é meramente cultural. Em
Portugal, as vulgarmente designadas claques ou Grupos Organizados de
Adeptos (GOA), são conotadas com fenómenos associados à criminalidade,
delinquência e violência, muito por culpa da comunicação social, que só
enaltece os aspetos negativos associados ao comportamento de um grupo,
escamoteando o verdadeiro propósito das claques – o espetáculo vocal e
folclórico, dado à equipa. A prova está na sua pergunta, pois de antemão
fez um juízo depreciativo sobre as claques “… pensa-se logo em
confusões…”.
Na generalidade dos países da Europa, é comum
assistir-se a jogos, com as denominadas “Curvas” repletas de adeptos
(ULTRAS) e as restantes bancadas despidas. A média de idades dos adeptos
que compõe os grupos/claques chega a rondar os 35 anos! E nesse espaço,
não há lugar a preconceito ou discriminação social, pois é possível
“ver” um médico/engenheiro/advogado a lutar pelo seu clube, ao lado de
um sem-abrigo/desempregado.
Infelizmente, a nossa sociedade é bastante preconceituosa, e avalia os grupos em função da imagem.
SL - É sabido o papel ativo da claque do Leixões, mesmo no decorrer dos
jogos, com mensagens, por vezes mordazes, em que criticam o momento
diretivo do clube/SAD. Sentem que as mensagens chegam aos destinatários?

JM - Obviamente.
SL - Como é que vêm a crise do clube e este recente comunicado dos jogadores denunciando os salários em atraso?
JM - Com muita mágoa e apreensão. O Clube está a viver um profundo
marasmo, e não se vislumbra uma “luz”/solução para combater a
inviabilidade financeira. Consideramos imperioso que os nossos
dirigentes convoquem uma Assembleia Geral Extraordinária, para
esclarecerem (com fatos) os associados, sobre a verdadeira realidade do
Velhinho do Mar. Só assim, podemos mobilizar as gentes de Matosinhos,
para que juntos, possamos dobrar o Cabo das Tormentas, e colocar o nosso
Clube, onde merece – Liga Sagres.
SL - A claque pensa assumir um papel mais ativo no clube?
Sim. Temos a noção que somos uma mais-valia para o Leixões.
SL - Quando os resultados não aparecem, a claque é a primeira a sofrer as consequências em termos de mobilização de adeptos?
JM - Não. Indubitavelmente quem sofre é mesmo o Leixões. O último ano
na Liga Sagres, foi sintomático – o Leixões andou meio campeonato abaixo
da linha de água, com assistências medíocres, especialmente
fora-de-portas, mas a Máfia marcou presença em todos os jogos, fazendo
deslocar sempre no mínimo 50 elementos.
Esta época desportiva, não
tem corrido de feição para as nossas cores, obviamente que fruto dos
resultados desportivos e da conjuntura económica, as bancadas do Palco
dos Nossos Sonhos estão despidas e o apoio fora, resume-se a nós.
SL - Qual foi o jogo em que tiveram maior mobilização?
JM - Provavelmente contra o Benfica. Felizmente para nós, no ano que ascendemos à 1ª Liga, enchemos diversas vezes o setor MV.
SL - E o jogo em que vos apeteceu ir embora?
JM - Nenhum. Jamais nos demitiremos de lutar pelo clube. Não obstante
reconhecer, que o apoio tende a enfraquecer, quando a equipa joga “menos
bem”.
SL - O que podemos esperar da claque até final da época?
JM - O apoio e a entrega de sempre.
SL - A claque está no facebook e são conhecidos outros movimentos de
apoio nas redes sociais em que é possível sentir o Leixões – por
exemplo, aqui mesmo, no ‘Somos Leixões’. A ‘mafia’ reconhece a
importância de divulgar o leixonismo, sobretudo às gerações mais jovens?

JM - Claro. É fundamental fomentar e divulgar o Leixões, independentemente dos meios utilizados.
Não obstante reconhecermos o papel da Internet (redes sociais, blogs,
sites), continuamos a acreditar, que as iniciativas levadas a cabo no
terreno (exemplo: ida às escolas), são as mais profícuas para atrairmos
os jovens ao Palco dos Nossos Sonhos.
Todos nós sentimos uma vibração e alegria contagiante, no Estádio; algo que não conseguimos sequer exprimir.
Nota final: a pedido do próprio e dada a vertente coletiva da claque,
não é publicada nenhuma foto do entrevistado. Como alternativa para
ilustrar o trabalho, ‘roubei’ uma imagem no espaço que a “Máfia”
disponibiliza no facebook. Uma foto bonita, a confirmar que só o Leixões
é capaz de nos proporcionar momentos assim! Já agora, em nome da
administração do ‘Somos Leixões’, agradecemos ao Jorge Moreira a
disponibilidade demonstrada para a realização desta entrevista. Viva o
Leixões! — com Francisco Teixeira.
avatar
Sandro
Capitão
Capitão

Número de Mensagens : 2721
Idade : 40
Localização : Leça do Balio

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: grupo Somos Leixões entrevista J. Moreira

Mensagem por Urko em Sab 24 Mar 2012 - 12:16

Ja comentei a entrevista no facebook!
avatar
Urko
Catedrático
Catedrático

Número de Mensagens : 5147

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: grupo Somos Leixões entrevista J. Moreira

Mensagem por Basuca em Sab 24 Mar 2012 - 17:54

Também já comentei.

_________________
LSC
avatar
Basuca
Titular
Titular

Número de Mensagens : 2088
Idade : 39
Localização : São Paulo

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: grupo Somos Leixões entrevista J. Moreira

Mensagem por lsc_1907 em Seg 26 Mar 2012 - 22:20

é indiscutível o grande apoio e esforço da MV em apoiar os bravos. são sem dúvida nenhuma uma das melhores claques nacionais, estão presentes em todo o lado e para mim significam muito e ver 1 jogo do LSC sem eles não é a mm coisa.

só 1 reparo ao q o J.Moreira disse na entrevista: "as bancadas do Palco
dos Nossos Sonhos estão despidas e o apoio fora, resume-se a nós
"

Nos jogos fora q vi esta época (belenenses - taça da liga, naval, portimonense, estoril e atlético para o campeonato), apesar do relativo pouco nº de adeptos leixonenses (especialmente na reboleira) comparado ao q já vi noutros jogos e noutras épocas, o apoio não se resumiu à MV, os adeptos q lá estavam apoiaram e muitas vezes reforçaram o apoio da MV.
avatar
lsc_1907
Sénior
Sénior

Número de Mensagens : 842
Idade : 40
Localização : Manchester - UK

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: grupo Somos Leixões entrevista J. Moreira

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo


 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum